terça-feira, 28 de outubro de 2014

PARECER DO CONSELHO DE ÉTICA DA CÂMARA PEDE CASSAÇÃO DO DEPUTADO FEDERAL LUIZ ARGÔLO É APROVADO


Por 13 votos a favor e 4 contra, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta terça (28/10) o relatório do deputado MARCOS ROGÉRIO (PDT-RJ) recomendando a cassação do mandado de LUIZ ARGÔLO (Solidariedade-BA). LUIZ ARGÔLO responde por quebra de decoro parlamentar devido a sua relação com o doleiro ALBERTO YOUSSEF, preso na OPERAÇÃO LAVA JATO. O parlamentar da bahia é acusado de receber dinheiro e favores de YOUSSEF

Durante a sessão, os deputados WLADIMIR COSTA (Solidariedade-PA) e MAURO LOPES (PMDB-MG) saíram em defesa de ARGÔLO argumentando não haver provas que o parlamentar recebeu vantagens ilícitas. COSTA disse que ARGÔLO podia ser vítima de uma injustiça. "Estamos aqui questionando a falta de provas. Tem de apresentar provas materiais", enfatizou o deputado paraense. O argumento foi repetido pelo advogado de ARGÔLO, ALUÍSIO LUNDGREN CORREA RÉGIS. "A defesa entende que não há provas", insistiu. O relator rebateu os discursos e disse que existem provas robustas contra o deputado da bahia, incluíndo evidência de solicitação de vantagens financeiras. "O crime de corrupção passiva se caracteriza apenas pelo ato de solicitar vantagens", respondeu MARCOS ROGÉRIO (PDT-RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário