segunda-feira, 27 de outubro de 2014

BLOCÃO DE PARTIDOS ALIADOS VAI SE UNIR PARA IMPOR PAUTA AO PLANALTO

Deputado Lúcio Vieira Lima - vice-líder do PMDB

Um grande bloco de centro deverá tornar-se a principal forna do Congresso no novo governo da presidente DILMA ROUSSEFF. Esse bloco deverá ser liderado pelo PMDB, que passará a exigir maior espaço em seu segundo mandato. O partido quer uma fatia maior de poder, não só na Esplanada dos Ministérios, mas também no conselho político da presidente reeleita. É certo que a presidente DILMA terá de abrir mais canais de contato com o Legislativo do que teve no primeiro mandato.

O bloco pretende forçar a negociação de todos os projetos que o Executivo enviar ao Congresso, sem aprová-los "de olhos fechados" como ocorria até agora, na visão do vice-líder do PMDB, deputado LÚCIO VIEIRA LIMA (PMDB-BA). "O ponto de equilíbrio será a negociação. Não dá para governar sem conversar. O Congresso é a casa do diálogo. A democracia está mais madura", disse VIERA LIMA. "O Congresso hoje é mais maduro do que nos anos em que o PT era oposição. Por isso, vai negociar, sem radicalismos". 

Para o vice-líder do PMDB, o País vai passar por momentos difíceis no ano que vem. E por isso todo mundo tem que ter a cabeça no lugar. "Não podemos agir com radicalismo, porque só prejudicará o País, tanto na política quanto na economia." Ele disse saber que as denúncias de corrupção na Petrobras vão atingir o Congresso. "O que é mais uma razão para ter maturidade. Temos de criar um novo Brasil, sem implicar em instintos destrutivos". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário